Pages

26 de junho de 2014

Filmes #5: Pompeia e Malévola

Nesses dias de recesso que a Copa do Mundo desencadeou por aqui, tenho assistido muitos filmes. Não que eu só tenha tido tempo livre agora, mas esse é o caso da minha fiel companheira de sofá e TV: minha mãe. Ela está com uma folguinha do trabalho esses dias e temos reservado um tempinho de alguns dias para fazer algo que gostamos juntas: assistir filmes e séries. Então eu resolvi transformar essas experiências em um combo de críticas recomendativas do que andei assistindo para vocês. Espero que gostem.






Título: Pompeia
Título original: Pompeii
Ano: 2014
Gênero: Ação | Aventura | Histórico
Duração: 1h44min
Nacionalidade: Estados Unidos da America
Direção: Paul Anderson
Elenco: Kit Harington, Carrie-Anne Moss, Emily Browning, Aewale Akinnuoye-Agbaje, Jessica Lucas, Jared Harris, Kiefer Sutherland, Currie Graham
Distribuidora: Imagem Filmes



Nossas sessões começaram com um filme que eu vinha querendo conferir há um tempinho. Pompeia conta a história de Milo, um escravo Romano que é enviado como gladiador para a cidade de Pompeia como artigo de entretenimento durante a Vinicula, uma espécie de tradicional festa das uvas. Milo é ótimo lutador, tem talento especial no tratamento de cavalos - afinal seu povo, Celtas, dizimado pelos romanos era um clã de cavaleiros, sendo ele o único sobrevivente - e tem um humor bastante arrogante e autoconfiante. A meio caminho de Pompeia ele trata do cavalo acidentado que levava Cassia, a filha do prefeito de Pompeia, de volta à cidade no seu retorno de Roma.


Uma atração surge entre a moça de berço de ouro e o escravo. Cassia é uma garota forte e petulante, ela retornou de Roma para fugir dos cortejos forçados de um Senador, mas não adiantou muita coisa, já que o tal sujeito foi até Pompeia atrás dele com a desculpa de negociar com seu pai uma "reestruturação" da cidade. Enquanto isso Milo arranja problemas na prisão, sobretudo com um gladiador veterano que confia que sua liberdade será concedida após um combate individual, quando ele derrotar - ou seja, assassinar - seu oponente. Imaginam quem será o oponente? Pois é. 


O roteiro do filme tem boa lógica linear, alguns acontecimentos um tanto clichês e poucas falas destacáveis. Ainda assim, qualquer romântico irá torcer pelo casal que encontra inúmeros obstáculos, um tanto previsíveis mas dolorosos. Kit Hrington (Milo) e Emily Browning (Cassia) são mais do que rostinhos bonitos: tem atuação forte e convicta, valorizando mais a história, e têm bastante química! Mas o que faz de Pompeia um filme que vale a pena assistir é o espetáculo visual.


As cenas de luta são dolorosas, gloriosas e usam um recurso de câmera lenta e enquadramentos que eu acredito tenha ficado excelente em 3D nos cinemas. E, claro, quando o Monte Vesúvio entra em ação, reporta muito bem o seu papel: cuspindo bolas de fogo, exalando muita fumaça, fazendo tudo estremecer, provocando um "leve recuo" no mar que terá seu papel em cena logo a seguir, e contribuindo com um espetáculo final agonizante. O final, como é de se esperar, é bastante trágico, de tirar e  fôlego e arrancar alguns suspiros: grandioso.


Avaliação: 






Título: Malévola
Título original: Maleficent
Ano: 2014
Gênero: Fantasia
Duração: 1h37min
Nacionalidade: Estados Unidos da America
Direção: Robert Stromberg
Elenco: Angelina Jolie, Sharlton Copley, Ellie Fanning, Sam Riley, Brenton Thwaits, Juno Temple, Irmelda Stauntom, Lasley Manville
Distribuidora: Walt Disney Pictures
Esse eu assisti sem a companhia da minha fiel escudeira, porque não faz o estilo de historia que ela gosta. Malévola mostra o outro lado do conto de fadas da Bela Adormecida, a protagonista da história é vilã da clássica história da princesa. Acontece quem nem tudo é o que parece. Segundo a história narrada no filme, havia dois reinos distintos que viviam lado a lado: o dos gananciosos humanos, e o das criaturas mágicas - Torns. Malévola, ainda criança, era uma fada meiga e amorosa. Certo dia um humano faz um assalto no reino dos Torns, mas malévola clama por misericórdia dos guardas - que se não me engano, são Trolls - pois ele é apenas um menino. Assim nasce a amizade entre Malévola, a fada guardiã, e Stephan, um humano camponês.


Conforme eles crescem o sentimento de amizade se transforma e Stephan dá um presente à Malévola em seu 16º aniversário, algo que ele chama de "beijo de amor verdadeiro". Depois de um tempo, ele desaparece e Malévola não entende seu desaparecimento. Acontece que Stephan não escapou da sede de poder dos humanos e se juntou ao Rei, numa escalada de poder. Quando os Torns são atacados e derrotados pelos humanos, o Rei, em seu leito de morte, oferta a Coroa e a mão de sua filha à que matar a criatura alada - Malévola. É quando Stephan comete seu maior ato de egoísmo.


Nesse ponto acho que a maior dor que transformou Malévola na "bruxa perversa" não foi o desespero de perder suas asas, mas sim a mágoa de uma traição tão covarde. Stephan se torna rei e continua com a promessa de tomar os Torns. Malévola busca uma chance de vingança e deseja proteger o seu povo mais do que nunca. Quando tem notícia, através de Diaval, seu homem-corvo-metamorfo de estimação, do nascimento da princesa dos humanos, a fada encontra sua chance. A partir daqui vocês conhecem parte da história: maldição do sono, roca de fiar, 16 anos, beijo de amor verdadeiro... Esse é o ponto. O filme mostra o por quê e como aconteceu. E inova nos acontecimentos, apesar de não surpreender tanto.


O roteiro não é muito glorioso, apesar de diferenciado. As atuações são um tanto quanto mornas, com algumas exceções: Angelina Jolie (Malévola) e Sam Riley (Diaval). Quanto aos cenários, esses sim merecem aplausos: o reino dos Torns é encantador, onírico e possui "alma" nas telas; os efeitos ficaram bem convincentes, especialmente as muralhas de espinhos, o "fogo verde" de Malévola e o metamorfismo de Diaval. E as caracterizações dos personagens ficaram encantadoras! Jolie estava assustadora e irresistível. Há um pouquinho de humor nos diálogos, mas é tudo muito sutil; a trilha sonora se encaixa bem, mas não é nada muito único ou diferente. No fim das contas é um filme bonito e empolgante, mas não cumpriu bem as minhas expectativas. Ainda assim, eu ainda me lembro da performance de Jolie quando alguém diz "praga". [risos]


Avaliação: 

13 comentários:

  1. Gostei da ambientação de Malévola e a Angelina é a Angelina, né? Sou fã dela, achei que ela deu um show. Gostei da releitura.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A releitura ficou bacana e Angelina realmente deu um Show, eu me surpreendi em alguns aspectos, mas eu esperava um roteiro com um texto mais forte, mais marcante. Entende?

      Excluir
  2. Estou louca para ver Malévola, o filme parece ser muuuuuuito bom.
    Sem contar que a Angelina está linda *-*
    Super ansiosa para ver!

    Beijos
    http://www.sacudindoaspalavras.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Angelina está maravilhosa! Mas eu fui com todas as expectativas e fiquei um pouco decepcionada, com as atuações e com o texto do roteiro. :/ Mas isso não quer dizer que vá acontecer o mesmo contigo, não é mesmo? ^_^

      Excluir
  3. Ainda não vi nenhum dos flimes, mas estou super curiosa.

    Beijos Fê :*
    http://fernandabizerra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Eu ainda não vi Pompéia e fiquei a fim de ver. E eu adoreiiii Malévola *--* Achei tão lindo! E realmente, quando alguém diz "praga" não tem como não se lembrar dela. Bjs
    http://horadaleitur.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu recomendo Pompéia, sobretudo se você curtiu filmes como "Gladiador" e "Robin Hood".

      Excluir
  5. Não assisti nenhum dos dois, fiquei interessada em Pompéia e quero ver Malévola logo!
    Uma penas as atuações terem sido um pouco mornas em Malévola, tirando a Angelina, ela é demais mesmo né?! haha
    Espero gostar dos filmes.

    Um beijão
    Lara - Magia Literária
    http://www.magialiteraria.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também espero que goste, Lara!

      Excluir
  6. Então, Dany cedi ao seu convite em relação à Pompéia e foi tão gratificante o resultado que como você mesmo sabe me inspirou a embrenhar neste gênero e buscarmos outros filmes juntas para o nosso " home cine " tais como: A Maldição do Anel, Novo Mundo, Trezentos - A Ascensão do Império, Hércules na versão Alcides (risos).

    Como não somos de badalações por aí, desfrutar do aconchego de casa em companhia de bons livros e filmes é bom demais! Então, fins de noites regados a magia, romantismo, humor, aventura, suspense e etc; nos garante, além de um papo e tanto acerca de vários temas, o desfrutar de ótimas fotografias, elencos, trilhas sonoras, roteiros e efeitos visuais tanto estonteantes; como absurdos, o que é muito bom pois nos rendem excelentes criticas a respeito.

    Pompéia? Efeitos, roteiro, fotografia excelentes! Malévola? Não vi, mas amei a alusão ao "praga" no que me reportou!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hercules, 300... ainda devem aparecer por aqui. ;) O que importa é a companhia. Mesmo nos dias que ela quer quebrar copos na parede. ^^

      Excluir
  7. Muito boa a sua crítica aos filmes, soube explicar bem os pontos positivos e negativos. Não assisti a nenhum dos dois e confesso que não tenho vontade, Pompeia porque eu não gosto muito de filme assim, e Malévola porque simplesmente não me interessou. Mas as fotografias estão incríveis.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima
    Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Rafa! Espero que um das próximas críticas possam lhe interessar os filmes. ;)

      Excluir

Deixe aqui sua opinião, sua crítica, sua sugestão! Seu comentário é muito importante!

Clique em Notifique-me, para ficar de olho nas respostas!

Obrigada por comentar e aproveite sua visita!